A trajetória do gênero Lo-fi

 Muitos de nós associamos o termo “Lo-fi” a batidas suaves e relaxantes, talvez evocando lembranças da famosa transmissão de 24 horas “Lo-fi Girl” no YouTube, que se tornou um fenômeno cultural em 2018. No entanto, o gênero Lo-fi vai muito além dessas melodias tranquilas. O que exatamente significa “Lo-fi” e como essa tendência musical evoluiu ao longo dos anos?

O significado de “Lo-fi”

“Lo-fi” é uma abreviação de “Low-Fidelity” (Baixa Fidelidade), que se refere a músicas recriadas a partir de composições musicais já existentes, mantendo uma qualidade de som deliberadamente imperfeita em relação à música original. Esse efeito cria uma sensação de autenticidade, como se as músicas estivessem sendo tocadas em um ambiente informal e caseiro.

A história do termo “Lo-fi” remonta aos anos 80, quando o DJ William Berger popularizou a ideia em sua rádio. Berger costumava tocar músicas produzidas com recursos limitados, muitas delas gravadas em estúdios improvisados nas casas dos próprios artistas. Essa abordagem não convencional de produção musical lançou as bases para o que hoje conhecemos como “Lo-fi”.

A ascensão do Lo-fi no hip hop

Embora o termo “Lo-fi” tenha sido introduzido por Berger, sua verdadeira influência na música moderna veio na cena underground do beatmaking durante os anos 2000. Nesse período, DJs e produtores começaram a usar samplers, como a SP-303 e a SP-404, para criar batidas únicas e experimentais.

A magia do Lo-fi no hip hop estava no botão “Lo-fi” encontrado em muitos samplers, que aplicava um efeito “low fidelity” (baixa fidelidade) aos samples ou ao som em geral. Esse efeito conferia à música uma qualidade crua, uma sensação de nostalgia e, em alguns casos, até uma textura “suja”, que se tornou característica do gênero.

Os protagonistas do Lo-fi hip hop

Durante esse período, nomes notáveis emergiram na cena Lo-fi do hip hop. Entre eles, destacam-se Madlib, J Dilla, Nujabes e um dos projetos mais icônicos desse gênero, o álbum “Madvillainy”, uma colaboração entre Madlib e MF DOOM. Esses artistas foram pioneiros na fusão de elementos Lo-fi com o hip hop, criando uma sonoridade única que influenciou gerações subsequentes de produtores e músicos.

O gênero Lo-fi não se restringe apenas ao relaxamento e à calma. Ele tem raízes profundas na música experimental e na exploração da “baixa fidelidade” como um meio criativo. À medida que o tempo passa, o Lo-fi continua a se reinventar, mantendo sua aura nostálgica enquanto explora novos territórios musicais.

Hoje, o termo “Lo-fi” representa muito mais do que apenas um estilo musical relaxante. É uma jornada musical que nos leva do passado ao presente, através de sons imperfeitos e autênticos que nos lembram a beleza da simplicidade na música.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *